A CONFIGURAÇÃO URBANA: A CIDADE DE PORTO VELHO/RO EM FACE DA INSTALAÇÃO DAS HIDRELÉTRICAS NO RIO MADEIRA

Gilberto Paulino da Silva, Maria Madalena de Aguiar Cavalcante

Resumo


A compreensão dos mecanismos de produção do espaço urbano e do ordenamento do território na cidade de Porto Velho/RO na Amazônia Sul-ocidental, requer uma análise contextualizada e integrada dos fatores sociais, políticos e econômicos que influenciaram sua dinâmica territorial ao longo do processo histórico em que a cidade está inserida. Esse processo perpassa pela implantação de obras de infraestrutura, as quais se apresentam como ações derivadas do planejamento do uso território que produzem efeitos sobre a formação do espaço urbano. Neste sentido, o objetivo do presente artigo é analisar o modo como as hidrelétricas implantadas no rio Madeira convergiram para a configuração do território urbano da cidade de Porto Velho-RO. A metodologia utilizada consiste em identificar, por meio de consultas bibliográficas, pelo tratamento de dados oficiais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE e pela análise do plano diretor municipal, a relação entre o aporte de infraestrutura, os deslocamentos populacionais para a cidade e a organização do território urbano decorrente desse processo. Para a presente análise, foram considerados os dados dos censos de 2000 e 2010 e a Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios – PNAD referente aos interstícios censitários. Os resultados apresentados apontam o aumento populacional para dedicação ao trabalho nas obras ou em atividades acessórias devido ao aquecimento da economia local. Conclui-se que a conjugação dos fatores econômicos (mobilidade de capitais para viabilizar os empreendimentos, atores sociais, movimentação populacional atraída pela possibilidade de emprego e renda), ainda que temporários e fatores de ordem política como desregulamentação ambiental, apoio incondicional e irrestrito ao modelo de desenvolvimento proposto, fragilidades dos instrumentos legais de planejamento urbano e os interesses econômicos, dirigiram a reorganização do espaço urbano ao longo de todo o período anterior, durante e após a construção das usinas.
Palavras-chave: Planejamento, hidrelétricas, território urbano.

Texto completo:

PDF

Referências


BECKER, Bertha K. Uma hipótese sobre a origem do fenômeno urbano numa fronteira de recursos do Brasil. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro.

BRASIL. Ministério do Planejamento. Relatório do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC: Disponível em: http://pac.gov.br/up/relatorio/ f50dad3a258023f0d6d363a31c0f50f5.pdf. Acessado em 17de agosto de 2019.

CABEZA, Ángel Massiris. Ordenación del território en America Latina. Scripta Nova. Revista eletrônica de geografia y ciencias sociales, Universidad de Barcelona, vol. VI, núm. 125, 1 de octubre de 2002. Disponível em: http://www.ub.edu/geocrit/sn/sn-125.htm. Consultado em 21/10/2018.

CALDERÓN, J. Algunas consideraciones sobre los mercados ilegales e informales de suelo urbano en America Latina. Lincoln Institute Research Report, Cambridge Massachusets, 1999.

CAMARGO, Luis Henrique Ramos. Ordenamento Territorial e Complexidade: Por uma reestruturação do espaço social. In: ALMEIDA, Flávio Gomes Santos; SOARES, Luis Antonio Alves (orgs.). Ordenamento Territorial: coletânea de textos com diferentes abordagens no contexto Brasileiro. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009.

CARDOSO, Fernando H. e G. MULLER. Amazónia: expansão do capitalismo. São

Paulo: Brasiliense, 1979.

CARDOSO, FH., and MÜLLER, G. Amazônia: expansão do capitalismo [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2008. pp. 40-54. A Amazônia de hoje. ISBN: 978-85-99662- 73-1. Available from SciELO Books.

CAVALCANTE, Maria Madalena; et al. Políticas Territoriais, Organização Espacial em Rondônia: Análise Sobre a Implementação da Hidrovia do Madeira – Amazonas. In: 14º Encontro Nacional de Geógrafos. AGB, Rio Branco, 2006. Confins [En ligne], 11 | 2011, mis en ligne le 27 mars 2011, consulté le 06 août 2019. URL : http://journals.openedition.org/confins/6924 ; DOI : 10.4000/confins.6924.

CAVALCANTE, Maria Madalena; Transformações Territoriais no Alto Rio Madeira: Hidrelétricas, Tecnificação e (Re)organização. Dissertação 112 p. (mestrado em geografia), Universidade Federal de Rondônia, 2008.

CAVALCANTE, Maria Madalena; SANTOS, Leonardo. Hidrelétricas do Rio Madeira: tecnificação, impactos e (re)organização do território. Revista Geografar. Resumos do VII Seminário Interno de Pós-Graduação em Geografia. Curitiba, 2009. Disponível em http://www.ser.ufpr.br/geografar Acesso em dezembro de 2018.

CAVALCANTE, Maria Madalena, et. al. Políticas Territoriais e Mobilidade Populacional na Amazônia: contribuições sobre a área de influência das Hidrelétricas no Rio Madeira (Rondônia/Brasil). Revista franco-brasileira de geografia Confins [Online], 11|2011. Disponível em http://confins.revues.org/6924 Acesso em janeiro de 2019.

CORREA, Roberto Lobato. A Periodização da Rede Urbana da Amazônia. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, 49/3, jul./set. 1987, p.39-68.

CORREA, Roberto Lobato. O Espaço Urbano. 4ª. São Paulo: Ática, 2002.

COSTA, Wanderley Messias da. O Estado e as políticas territoriais no Brasil. São Paulo: Contexto, 1988.

GALVÃO. Antonio C. Prefácio. In: Para pensar uma política nacional de ordenamento territorial. Anais da Oficina sobre a Política Nacional de Ordenamento Territorial. Brasília, 13-14 de novembro de 2003. Ministério da Integração Nacional / Secretaria de Políticas de Desenvolvimento Regional, 2005.

MARTINE, G; Turchi, L. (1990) A questão da Urbanização na Amazônia: Realidade e Significado. In: Ciência e Tecnologia no Processo de Desenvolvimento da Região mazônica. Série Estudo para Planejamento em Ciência e Tecnologia, Brasília, SCT/DR; CNPq; CEST.

PNOT. Para pensar uma política nacional de ordenamento territorial: anais da Oficina sobre a Política Nacional de Ordenamento Territorial, Brasília, 13-14 de novembro de 2003/Ministério da Integração Nacional,Secretaria de Políticas de Desenvolvimento Regional (SDR). – Brasília:MI, 2005.

PNOT. Subsídio Para a Definição da Política Nacional de Ordenação do Território (versão preliminar). Ministério de Integração, Brasília, 2006. Disponível em http://www.integraregio.com.br/file.php/1/Biblioteca/Textos. Acesso em abril de 2019.

PORTO VELHO. Prefeitura Municipal. Plano Diretor de Porto Velho 2008. Disponível em:https://planodiretor.portovelho.ro.gov.br/uploads/arquivos/2018/12/27807/1544012333produto3-diagnosticoconsolidado.pdf. Acesso em:13 set. 2019. SILVA, Ricardo Gilson da Costa. Hidrelétricas do Madeira e a nova geografia de Porto Velho. Disponível em: www.tudorondonia.com/noticias/hidreletricas-do-madeira-ea- nova-geografia-de-porto-velho,51690.shtml. Acesso em: 24 abr. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


GeoAmazônia. Todos os Direitos Reservados.
Print ISSN: 1980-7759 (impresso)
eISSN: 2358-1778
DOI da Revista GeoAmazônia: 10.17551/2358-1778/geoamazonia

Indexadores: DOAJ - Latindex - Periódicos da CAPES - Crossref -  BASE - DRJI -Open Science Directory/EBSCO - Google Acadêmico - Wordcat - Index Corpenicus - Suncat - SUDOC - COPAC - Scilit - ERIH PLUS - REDIB (antigo E-Revista) - EZB - Sumários - LivreEuropub - ZDB - GIGA - CIRC - Openaire - OAJI - Jifactor - Diadorim - MIAR - Citefactor - Journal Factor - Infobase - Biblioteke Virtual - Sindexs - Researchbib - PBN - SHERPA/ROMEO - ZB MED - La Referencia - REBIUN - World WideSciente. Org