O SABER LOCAL DO CULTIVO DO TABACO COMO FATOR CONTRIBUINTE À ECONOMIA DE UMA COMUNIDADE DO NORDESTE DO PARÁ

Genilson Fernandes Monteiro, Francisco Pereira de Oliveira, Raquel Amorim dos Santos, Raul da Silveira Santos

Resumo


O presente estudo apresenta um debate contemporâneo a respeito do modo como vivem as comunidades tradicionais do nordeste paraense, costa amazônica brasileira, principalmente em Reservas Extrativistas Marinhas, no que tange a convivência com os saberes empíricos sobre plantas, em especial o uso do tabaco. Nesse sentido, o principal objetivo é demonstrar a importância do uso do tabaco na Comunidade da Chapada no município de Tracuteua-PA, assim como refletir sobre o dualismo entre o saber tradicional e científico. Mediante as observações, percebeu-se que na comunidade da Chapada os saberes tradicionais estão  ligados à economia das famílias locais e esses saberes estão engendrados no cultivo da  planta do tabaco, além de compor as práticas produtivas dos extrativistas da Comunidade da Chapada.

 

Palavras-chave: Saberes. Reserva Extrativista. Tabaco.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, U.P. A etnobotânica no nordeste brasileiro. In: CAVALCANTI, T.B. & WALTER, B.M.T. Tópicos Atuais em Botânica. Brasília: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia / Sociedade Botânica do Brasil, 2000. p.241-249.

ALMEIDA, Maria da Conceição de. Complexidade, saberes científicos, saberes da tradição. São Paulo: editora Livraria da Física, 2010.

ALMEIDA, Mauro; CUNHA, Manuela Carneiro. Populações tradicionais e conservação. In: Programa Nacional da Diversidade Biológica– Seminário de Consulta. Avaliação e identificação de ações prioritárias para a conservação, utilização sustentável e repartição dos benefícios da biodiversidade da Amazônia Brasileira. Macapá, 1999.

ARRUDA, Rinaldo. Populações tradicionais e a proteção dos recursos naturais. Ambiente & Sociedade, v. 2, n. 5, p. 79-93, 1999.

BARROS, Lídia Almeida. Vocabulário das unidades de conservação do Brasil. São Paulo: Arte & Ciência; Marília: Unimar, 2000.

BEGOSSI, A.; HANAZAKI, N.; SILVANO, R. A. M. Ecologia humana, etnoecologia e conservação. In: Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia, etnoecologia e disciplinas correlatas. UNESP/CNPq, Rio Claro, São Paulo, 2002.

BRASIL. Cadastro Nacional De Unidades De Conservação – CNUC. Tabela Consolidada das Unidades de Conservação. CNUC/MMA, atualizada em 10/07/2017.

Brasil. 2007. Decreto N. 6.040, de 7 de Fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Brasília, 7 de fevereiro de 2007.

CAMPELO, Cornélio Ramalho; RAMALHO, Rita de Cassia: contribuições ao estudo das plantas medicinais no Estado de Alagoas- VII. Anais do XXXIV Congresso Nacional de Botânica, vol. 2(1), 1989.

CARDIM, Fernão. Tratados da terra e gente do Brasil. São Paulo: Companhia Editorial Nacional, 1978. p. 49.

COTTON, C.M. Ethnobotany: principles and applications. New York: J. Wiley, 1996. 320p.

COTTON, C.M. Ethnobotany: principles and applications. New York: J. Wiley, 1996. 320p

CUNHA, Manuela Carneiro Da. Relações e dissensões entre saberes tradicionais e saber científico. Revista USP, São Paulo, n. 75, p. 76-84, set./nov. 2007.

DIEGUES, Antonio Carlos e ARRUDA; Rinaldo S. V. (orgs). Saberes Tradicionais e biodiversidade no Brasil. Brasília: Ministério do Meio Ambiente; São Paulo: USP, 2001.

FERRO, D. Fitoterapia: conceitos clínicos. São Paulo: Atheneu, 2006. 502p.

FILSTEAD, W. J. Qualitative Methods: a Needed Perspective in Evaluation Research. In: T.D. COOK & C.S. REICHARD (eds.). Qualitative and Quantiitative Methods in Evaluation Research. Beverly Hills, CA: Sage.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GUSMÃO, D. A. Guerras na Amazônia do século XVII: resistência indígena à colonização. Belém: Estudos Amazônicos, 2012.

LEFF, Enrique. Racionalidade ambiental: a reapropriagáo social da natureza / Enrique Leff; tradugáo Luís Carlos Cabral. – Rio de Janeiro: Civilizagáo Brasileira, 2006.

MARCONI, Maria de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa. 3. Ed. São Paulo: Atlas, 1999.

MARCONE, Mariana; LAKATOS, Eva. Fundamentos de metodologia cientifica. 5. Ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARTINS, A.G.; Rosário D.L.; BARROS, M.N.; JARDIM, M.A.G. 2005. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais, alimentares e tóxicas da Ilha do Combu, Município de Belém, Estado do Pará. Revista Brasileira de Farmacognosia, 86: 31-30.

MATO GROSSO. Secretaria do Estado de Saúde. 2004. Informe SES. Disponível em: www.saude.mt.gov.br. Acesso em 27 de março de 2019.

MEKSENAS, Paulo. Método em Pesquisa Empírica. In: Pesquisa social e ação pedagógica conceitos, métodos e práticas. São Paulo: Loyola, 2010. Cap. 6, p.109-148.

MING, L. C. Coleta de plantas medicinais. In: Plantas medicinais: arte e ciência, um guia de estudo interdisciplinar. UNESP. São Paulo, 1996.

MING, L. C.; AMOROZO, M. C. M. SILVA, S. P. S. Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia, etnoecologia e disciplinas correlatas. UNESP/CNPq, Rio Claro, São Paulo, 2002.

NOBRE, Cristina Joara de Sousa: Etnobotanica de plantas medicinais no ensino de Biologia: uma contribuição da escola pública rumo ao resgate do conhecimento popular/Cristiane Joara de Sousa Nobre. - Patos, 2015.

PÁDUA, M. T. J. Sistema brasileiro de unidades de conservação: de onde viemos e para onde vamos? In: CONGRESSO BRASILEIRO DE UNIDADES DE CON-SERVAÇÃO, 1, 1997, Curitiba. Anais... Curitiba: IAP; Unilivre; Rede Nacional Pró Unidades de Conservação, 1997.

PORTAL MEDICINAIS- Aromáticas Condimentares – Alimentícia Não convencional (PANC)- Funcionais. Disponível em: www.ppmac.org. Acesso em 21/03/2019.

RODRIGUES, Valéria Evangelista Gomes. Tese (doutorado). Etnobotanica e florística de plantas medicinais nativas de remanescentes de floresta estacional sem decidual na Região do Alto Rio Grande, Minas Gerais, 2007.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

SOUZA, D. L.B. Os significados do tabagismo construídos na dinâmica social. Dissertação Aprensentada ao programa de pós-Graduação em Ondontologia da UFRN. Natal, RN, 2006.

WILSON, E. O. On the future of conservation biology. Conservation Biology; Vol. 14; Num 1; Blackwell Publishing; Fevereiro, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


GeoAmazônia. Todos os Direitos Reservados.
Print ISSN: 1980-7759 (impresso)
eISSN: 2358-1778
DOI da Revista GeoAmazônia: 10.17551/2358-1778/geoamazonia

Indexadores: DOAJ - Latindex - Periódicos da CAPES - Crossref -  BASE - DRJI -Open Science Directory/EBSCO - Google Acadêmico - Wordcat - Index Corpenicus - Suncat - SUDOC - COPAC - Scilit - ERIH PLUS - REDIB (antigo E-Revista) - EZB - Sumários - LivreEuropub - ZDB - GIGA - CIRC - Openaire - OAJI - Jifactor - Diadorim - MIAR - Citefactor - Journal Factor - Infobase - Biblioteke Virtual - Sindexs - Researchbib - PBN - SHERPA/ROMEO - ZB MED - La Referencia - REBIUN - World WideSciente. Org